ENTENDA DE VEZ A SELIC

ENTENDA DE VEZ A SELIC

Redação LRP, por Ana Carolina Rangel – 06/05/2029

Atualizada em 08/09/2020, por Rosana Pinheiro

No início de maio deste ano, o Copom – Comitê de Política Monetária do Banco Central reduziu a taxa Selic de 3,75% para 3% ao ano, o seu menor patamar desde 1999.

Após sucessivos cortes, temos, agora, uma taxa básica de juros de 2% ao ano, a qual tivera sua última redução no início de agosto.

Uma redução tão agressiva justifica-se pela crise enfrentada pelo Brasil e pelo mundo, gerada pelo Coronavírus, que afeta todo o sistema, desde a saúde até a economia.

Dessa maneira, o nosso intuito é esclarecer qual a interferência da Taxa Selic na economia, e quais as consequências de sua redução, além de responder à pergunta que muitos têm nos feito: “o que isso significa, afinal?”

O que é Selic?

Pois bem, a Taxa Selic, também chamada de Taxa Básica de Juros, tem como principal finalidade regular a economia, o que significa que o percentual em que ela se encontra é fundamental para determinar a velocidade de circulação do dinheiro.

Isso porque ela é usada como parâmetro para a definição das demais taxas de juros, ou seja, é como um termômetro da economia, refletindo no custo do dinheiro para empréstimos bancários.

Para que foi reduzida?

Assim, sua redução ao patamar de 3% é uma tentativa do Copom de aquecer o mercado, tendo em vista que, quanto menores os juros, maiores são os investimentos e, por consequência, o dinheiro tende a circular com maior velocidade.

Quais os efeitos da redução?

Deste modo, sua redução torna mais acessíveis operações como empréstimos bancários e financiamentos, já que a taxa cobrada pelos bancos deve se orientar pela taxa Selic.

Em contrapartida, investimentos em renda fixa e em poupança, que já não são atrativos faz tempo, tornam-se ainda menos interessante, deixando de oferecer boa rentabilidade e retorno ao investidor.

Como isso pode ser bom para você?

A redução da Taxa Selic evidencia um universo que já vem crescendo entre os brasileiros: o do mercado de capitais, já que, mesmo com a pandemia, certa de 400 mil novos investidores ingressaram na B3, nossa bolsa de valores, em busca de alternativas mais rentáveis por meio de aplicações em ativos de renda variável.

De forma geral, percebemos que a redução da Taxa Selic incentiva a transição de carteiras conservadoras para investimentos com maior risco. Contudo, acreditamos que essa transição deve ser feita de forma prudente! O preço de muitas ações tem caído, o valor de mercado de muitas empresas tem mudado, logo, a análise responsável de todos os fatores que permeiam essas mudanças é fundamental na hora de investir.

É tempo de mudanças!

Vivemos um momento de grande mudança, o mundo como conhecíamos já não existe mais! É necessário ter cautela, sem, porém, perder as oportunidades! Devemos nos inspirar com os novos aprendizados e fazer bom proveito das novas possibilidades. Vocês já sabem: para nós, sucesso é sobre estar em equilíbrio em todas as áreas da vida. Vamos juntos?

Um abraço!

Compartilhe!

Deixe uma resposta