COMEMORAR O DIA DA AMAZÔNIA?

COMEMORAR O DIA DA AMAZÔNIA?

Redação LRP, por Rosana Pinheiro – 05/09/2020

Sobre o Dia da Amazônia (e às vésperas do Dia da Independência do Brasil).

Há motivos para comemorar? No geral, devemos primar pelo equilíbrio e privilegiar a visão otimista da situação – contudo, em se tratando da Amazônia, isso se mostra inviável para nós.

Ao se falar no nosso maior bioma, devemos ter em mente a riqueza que alberga todo esse ativo ambiental – seja a natural, a intelectual, viabilizada pelas pesquisas científicas, ou a oriunda da exploração econômica.

Acontece que, ao contrário do que se espera, o estado do Amazonas, que abriga grande parte dessa floresta tão rica, possui, também, os municípios mais pobres do país. No quesito desenvolvimento humano (IDH) e progresso social (IPS), os amazonenses experimentam a desigualdade social em níveis extremados.

O que isso quer dizer? Riquezas desejadas a nível global no quintal de casa, cuja exploração se converte em estrondosas cifras, que se esvaem rapidamente. Os municípios, já sugados, sofrem com desemprego, população densa, infraestrutura deficitária, concentração de renda.

Antes de culpar: político, pecuarista, garimpeiro, sugerimos uma reflexão. O que os forma para assim pensar e agir? Em contrapartida, os países europeus se apresentam como os grandes defensores da Amazônia. O que os colonizadores têm que falta ao nosso povo – e que ainda nos acorrenta aos grilhões de mente colonizada?

Compartilhe!

Deixe uma resposta